Hyro Mattos

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterPin on PinterestShare on LinkedInEmail this to someone

HYRO MATTOS

É formado em Dança pela Ulbra, artista plástico, ator, cenógrafo, iluminador, operador de luz, aderecista, figurinista, ministra oficina de máscaras, de consciência corporal e de teatro para adolescentes no Teatro Nilton Filho, desde 1998. Iniciou sua carreira como ator, em 1991 quando participou da ‘Mostra de Teatro Primeira Vez” com o grupo Sei Lá, no espetáculo “O Pastel”, dirigido por Fernando Pecoits, ”Primeira Mostra de Teatro de Esteio’’ com a peça “Vida Intima de Betinha”, de vários autores, dirigida por Nilton Filho.
Fez cursos, de iluminação com Fernando Ochôa, Gildo Sanches, Celso Orenes, Carlos Bandarra, Lincon, entre outros de técnica Vocal com Regina Machado, de teatro com Sônia Pellegrino no Teatro do Museu do Trabalho, de interpretação com Nilton Filho, David Herman, de figurino com Daniel Leon, de cenografia com Rodrigo Lopes e quatro anos de dança moderna com Eneida Dreher. Ganhou o prêmio de melhor iluminação da peça infantil “Mais Vale um Sotão Mágico do que um Quarto para uma tia” de Laura Peixoto, no V Festival de Teatro Amador do RGS, fase Final em Erechim e “Memórias” direção de Marcelo Aquino no III Festival de Esquetes de Novo Hamburgo. Em 93/94 participou como ator da peça “Nada Pessoal”, de Miguel Falabella, Jaime Cimenti e Vicente Pereira e direção de Nilton Filho.
Recebeu o prêmio de melhor figurino da peça “Três Peraltas na Praça” de José Valluzi e direção de Ademar Brum, em 97 no VIII Festival de Teatro Amador. Fez parte dos elencos das peças “Mandragora” de, Maquiavel e “As Artimanhas de Sganarello” de Molière, onde também criou a luz e o figurino, sob a direção de Nilton Filho. Em 98 participou como convidado da CITA – Centre International du travail de l’acteur, para a Universidade Teatral de Verão em Genebra, na Suíça,no período de junho a outubro onde participou do espetáculo “Théâtre, oh! Bordel!”, baseado na obra de Jean Gene, “O Balcão” e sob a direção de Gabriel Alvarez, juntamente com Nilton Filho que também é o diretor da Cia de Teatro Construção, e outros 15 atores e atrizes da Europa, sendo somente os dois que representaram o Brasil.
Participou como ator do espetáculo “Fala Baixo, se não eu Grito” de Leilah Assunção, com Regina Machado e música de Luiz Alves, dirigido por Nilton Filho. É o iluminador e operador de luz do espetáculo “Solidão, A Comédia” de Vicente Pereira, com Carlos Paixão e sob a direção de Nilton Filho, e junto com Lourenço Schmidt criou também a sonoplastia e melodia da peça, que estreiou em 1990 e atualmente em cartaz em circuito pelo interior do estado. Recebeu o prêmio de Melhor Iluminação do espetáculo “Solidão, a Comédia” nos seguintes festivais: I Festival de Monólogos de Avaré SP e no IV Festival Nacional de Monólogos de Marília em São Paulo. Foi o responsável também pela criação de luz do espetáculo “Quarta-feira, sem falta lá em casa”, de Mário Brasini que estreou em julho de 2000 em São Paulo.
Foi o responsável pela operação e criação de luz do espetáculo Caminhos que Cruzei, Amigos que Encontrei. De direção Luis Carlos Pretto, e que está em temporada desde maio até junho de 2001 até janeiro de 2004 no Teatro Nilton Filho. Em 2002 participou do curta metragem “A Mágica”com direção de Ítalo Ogliari e produção de Stella Cony, sendo um dos concorrentes do IX Festival Internacional de Cinema de Gramado. Estréia dia 18 de maio de 2002 a peça O Reino da Rainha Sofia, sob sua autoria e direção. O elenco formado por adolescente que fazem curso com ele há mais de dois anos, e permaneceu em cartaz por um ano.
Participou como um dos coordenadores e iluminador das Mostras de Teatro do DAD, 2003-1, 2003-2 e 2004-1. Também em 2003 participou do curta metragem O Caso dos dois Guris de Ítalo Ogliári que participou também o Festival de Cinema Gramado. È o autor da adaptação do conto de Charles Perrault (1628-1703) Cinderela que estreou em 2003 no Teatro Nilton Filho, retornando de abril a junho de 2004, onde também assina o cenário, o figurino e atua como ator. Com previsão para retorno em setembro de 2004. Workshop com as diretoras Catherine Kahn e Anne Klovholt, Conexão Ecandinávia, em agosto.

O espetáculo infantil O LIVRO ENCANTADO, de sua autoria e direção que estreou em 13 de maio de 2006. Em maio de 2007 participou das filmagens do curta-metragem Tudo no Meio do Nada, direção de Márcio Weiss, roteiro de Ricardo Azevedo, projeto de graduação da turma de formando do curso de cinema da Ulbra.

De 2008 a 2009 ministrou curso para crianças dentro do projeto de responsabilidade social do Hospital Mãe de Deus e de teatro para Escola Estadual Olegário Mariano, subvencionado pela Gerdau.

Ministra cursos para adolescente e adultos no Teatro Nilton Filho.

Em 2009 estreou o espetáculo Retratos do Silêncio, de sua autoria e direção de Nilton Filho, onde também criou a luz e trabalhou como ator.

Noite do Meu Bem, espetáculo de teatro e música com o ator Antonio Carlos Castilhos, a Cantora Gisele Rodrigues e os instrumentistas Emílio, Gustavo e Arthur dirigido e concebido por Nilton Filho e Hyro Mattos, em cartaz no período de 22 de outubro a 06 de novembro de 2010.

Em 2011 estreou o espetáculo Sexta Rindo, tendo no elenco também Duda Meneghetti, Julio Estevam, Bruno Cardoso, Cássia Aguiar e Karine Isquierdo com direção de Nilton Filho, com temporada em abril de 2012, Também está no elenco do infantil A Roupa do Rei e Cabaré da Madame Cecy, que estrearam  em abril de 2012.

Coreografou e dirigiu junto com Nilton Filho o espetáculo de Teatro-Dança com o título de Fio que deverá estrear dia 11 de abril de 2012.

Desde de 2010 tem um grupo de pesquisa de teatro dança onde desenvolve o estudo do gesto e do movimento criando uma partitura corporal dramática e coreográfica.

Em dezembro de 2012 estreou o espetáculo INOCENTES onde trata dos órfãos da Segunda Guerra Mundial
Também dirigiu O MÉDICO À FORÇA do autor francês Molière, que junto com a ROUPA NOVA DO REI, INOCENTES, CABARET DA MADAME CECY, JOGANDO LIMPO E SEXTA RINDO, na TEMPORADA OUTONO DE 2013 DO TEATRO NILTON FILHO.

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterPin on PinterestShare on LinkedInEmail this to someone